quinta-feira, 25 de junho de 2009

Aspectos Culturais África - Ásia

Nas escolas e nos livros, costumamos estudar apenas a história de um povo africano: os egípcios e raramente dos povos asiáticos. Porém, na mesma época em que o povo egípcio desenvolvia sua civilização, outros povos africanos e asiáticos faziam sua história. Conheceremos abaixo suas principais características culturais.

O povo Bérbere


Os bérberes eram povos nômades do deserto do Saara. Este povo enfrentava as tempestades de areia e a constante falta de água e o enorme calor, para atravessar com suas caravanas este território, fazendo comércio. Costumavam comercializar diversos produtos, como objetos de ouro e cobre sal, artesanato, temperos, vidro, plumas, pedras preciosas entre outros.
Costumavam parar nos oásis para obter água, sombra e descansar e eles também possuíam o conhecimento da localização dos poços no deserto, assim, tendo duas opções de captação de água. Utilizavam o camelo como principal meio de transporte, graças à resistência deste animal e de sua adaptação ao clima do deserto.
Durante as viagens, os bérberes levavam e traziam informações e aspectos culturais. Logo, eles foram de extrema importância para a troca cultural que ocorreu no norte do continente africano.

Os bantos


Este povo habitava o noroeste do continente, onde atualmente são os países Nigéria, Mali, Mauritânia e Camarões. Ao contrário dos bérberes, os bantos eram agricultores. Viviam também da caça e da pesca.
Conheciam a metalurgia, saber que deu grande vantagem a este povo na conquista de povos vizinhos. Chegaram a formar um grande reino (reino do Congo) que dominava grande parte do noroeste da África.
Viviam em aldeias que eram comandadas por um chefe. O rei banto, também conhecido como manicongo, cobrava impostos em forma de mercadorias e alimentos de todas as tribos que formavam seu reino.
O manicongo gastava parte do que arrecadava com os impostos para manter um exército particular, que garantia sua proteção, e funcionários reais. Os habitantes do reino acreditavam que o manicongo possuía poderes sagrados e que influenciavam nas colheitas, guerras e saúde do povo, isso mostra a organização que os povos da África possuíam,contrariando a idéia da Europa quanto aos africanos.



Os soninkés e o Império de Gana

Os soninkés habitavam a região ao sul do deserto do Saara. Este povo estava organizado em tribos que formavam um grande império. Este império era comandado por reis conhecidos como caia-maga.
Viviam da criação de animais, da agricultura e da pesca. Habitavam uma região com grandes reservas de ouro, eles o extraíam para trocar por outros produtos com os povos do deserto (bérberes). A região de Gana tornou-se com o tempo, uma área de intensa comercialização.
Os habitantes do império deviam pagar impostos para a nobreza, que era formada pelo caia-maga, seus parentes e amigos( mesma organização dos Bantos). Um exército poderoso fazia a proteção das terras e do comércio que era praticado na região, além de pagar impostos, as aldeias deviam contribuir com soldados e lavradores, que trabalhavam nas terras do caia-maga e sua família.



Povos e culturas asiáticas

Os valores básicos do povo estão enraizados na religião. A Ásia é o berço de todas as religiões mundiais: Hinduísmo, Confucionismo, Budismo, Cristianismo e Islamismo. Todas essas religiões são renascidas e adquiriram um novo porque no contexto da modernidade. O secularismo é a conseqüência de uma luta entre a Igreja e o Estado na Europa. Conflitos semelhantes não existem na Ásia e, portanto ela não é secularizada como a Europa. Apesar de as religiões asiáticas parecerem transcendentes, na verdade elas são muito focadas numa boa vida aqui e agora.[...] (MARCELO R. 2008)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário